Porque cada passo que damos é para frente

agosto 28, 2014 at 4:22 pm Deixe um comentário

Porque cada passo que damos é para frente Corre, porque o tempo passa rápido e não podemos mais perdê-lo com o que passou. E, convenhamos, não há sentido algum eu ficar aqui, debaixo desse edredom, sozinho. Coloca logo essas pernas sobre as minhas e deita a cabeça no aconchego do meu peito. Já vai começar o filme e, nem interessa se é bom ou ruim. Basta adormecermos juntos antes de as letrinhas subirem na tela. Pra quê se preocupar com o final da história? Deixa o roteiro nos mostrar que somos bem melhores que os personagens de qualquer drama. O que me importa mesmo agora é roncar bem alto o meu amor em seus ouvidos, enquanto você me ressona a paz de simplesmente estar comigo.

Vem, gruda em mim. Eu saio do meu mundo para viver mais no nosso, pois deixei de ser egoísta. Me deixa morar aí dentro do seu coração. Nem precisa pedir garantias ou carta de locação. Porque quanto mais eu lhe encontro, menos eu lhe busco. Ah, esquece. Não sou de cobrar ou pedir nada. Mas, sabe… é que eu quero mesmo lhe beijar com meu olhar de menino. E lhe entregar meu sorriso escancarado quando lhe vejo me esperando no ponto de ônibus. Pois tudo com a gente é tão simples, que até churrasquinho na esquina vira jantar romântico, mesmo sem luar. E você sabe que o seu abraço é a espaçonave mais confortável para me fazer flutuar.

Voa, sem medo. Pros meus braços tentáculos que não querem lhe prender, apenas lhe dar abrigo. Quero me livrar das ideias tortas que li num livro de autoajuda e fazer poesias para você. Bem melhores que as citações do Google ou alguma frase clichê. Só sei que já não quero mais estar errado quando sei que tudo o que mais preciso é de você ao meu lado. Pois descobrimos que sozinhos não faz o menor sentido tentar ser feliz. Mesmo que a felicidade se resuma a só querer estar junto para sempre, da maneira que for. E se isso lhe basta, meu amor, me dê sua mão e vamos embora. Porque cada passo que damos é para frente. Então corre! Porque o nosso filme já recomeçou.

Bruno Cazonatti

Entry filed under: Adocicados & Cítricos:.

Sofá É a vida feita para quem não é fraco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: