Nunca terminar de começar

julho 21, 2014 at 9:17 pm Deixe um comentário


recomeçar
Quando os caminhos se perdem, é preciso voltar ao começo. Refletir, analisar, achar o que desviou a nossa paz. Aceitar os erros, perdoar os deslizes, reconhecer a imperfeição.

Papo de refazer o contrato, estabelecer novas metas que fortificam e garantem um acordo para sermos  felizes. E nós não temos apenas o tempo, mas sim, toda a vida para realizar os nossos sonhos.

Basta apenas que você queira estar comigo, do jeito que sou, do jeito que for. Como eu quero estar com você da maneira que você é, seja para o que Deus quiser.

Tem que ser bom para nós e, assim, nunca mais desatar nossos nós. A vida é feita para isso, se encontrar, se perder, se reencontrar e seguir, a cada amanhecer e pôr do sol.

Abri os olhos e levantei, pois nem sempre é o despertador que nos acorda na melhor hora do sonho, ou na pior do pesadelo. Mas, tal qual ditado, cada novo dia é uma chance pra ser melhor que ontem.

Hoje aprendi que é preciso nunca terminar de começar.

Bruno Cazonatti

Entry filed under: Adocicados & Cítricos:.

O adeus que não merece um poema. Balela em papel de bombom

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: