Capaz, rapaz.

setembro 21, 2009 at 7:15 pm 4 comentários


Eu estava nas nuvens.
O céu me roubou o fôlego e minhas forças.
Tudo cinza sem azul.
Não, eu não vou começar poesia.
Sobre amor eu não escrevo.
Desacredito.
Paixão é mulher nova.
Sabor refrescante.
Carioca? Mineira? Gaúcha?
Terra. Gosto de terra.
Boas, como cevada, cachaça e chimarrão.
Sem vinho.
Ruim é carta de adeus que não se remete pelo Correio.
Só para debochar vem por e-mail.
Tchau.
Motivo covarde?
Sei lá.
Talvez seja o gosto amargo que lhes deixei na boca.
Marcas roxas nas coxas.
Se você cede, elas invadem.
Entregou o seu coração de bandeja, ô babaca?
Elas deitam e rolam.
Ah, mas homem não tem sentimentos.
Todos querem xoxota.
Será?
Mentira, eu pelo menos olho na alma.
Balela!
Só porque faz tempo em que você não se apaixona.
Tem hora pra isso?
Vinte e uma e trinta na porta da minha casa.
Minhas noites deveriam ter 48 horas.
Dou um passo e já não estou mais no mesmo lugar.
Mesmo indo de táxi.
Tem troco pra cinquenta sem trema?
Não pago com nota irlandesa.
O mundo continua lá fora.
Ela continua lá.
Longe.
Em menos de uma semana a gente esquece.
Nem vou despachar a bagagem.
Uma chance em mil de voltar.
Stand Up!
E mais um dia se foi.
Já nem tão escuro, pois sempre amanhece.
Meio azul sem cinza.
Com o chão devolvendo o sopro e a energia.

Entry filed under: Ácidos.

O Resto do Mundo Poesias entre Lençol, Suor e Pudor

4 Comentários Add your own

  • 1. Deise  |  setembro 22, 2009 às 5:23 pm

    Perfeito! Parabéns, você é realmente genial.

    Responder
  • 2. Ale  |  setembro 23, 2009 às 4:37 pm

    Só pra variar….adorei………….
    beijo
    Ale

    PS: Só não gostei da parte em que você esqueceu das paulistas…

    Responder
  • 3. Guaraná  |  setembro 24, 2009 às 4:57 pm

    Não sei, senti um vazio, ando me sentindo assim depois de ler certas coisas…coisas sobrec coisa bem descatáveis tudo sempre passa… Exemplo? Entrega!

    Responder
  • 4. Bárbara (B.)  |  setembro 25, 2009 às 2:29 am

    Bruno!

    Adoraria as dicas de registro dos textos!
    Me adiciona no MSN por esse e-mail aqui que deixei no comentário?

    Ah, adorei o novo layout combina mais com o nome do blog.
    🙂

    Cheiro.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: