Está bom ou falta Sal

agosto 17, 2009 at 8:27 pm 3 comentários

falta sal

Ela nunca guarda as cartas de amor que recebe. Deteste esse papel de protagonista endeusada em linhas repletas de rimas e palavras doces. Na verdade, ela prefere se guardar para as cartas de amor. Aquelas com texto legível e palavras coloridas com cheiro de amoras. Difícil é encontrar esse aroma em dias de pouco sentimento, pois a maioria dos príncipes encantados só pensa em copular. Mãos bobas que preferem seios e coxas, longe de palavras bonitas em letras de fôrma.

Às vezes é bom agradecer por existir limites, pois nunca se sabe onde vai dar o infinito. Ela, que também nunca soube o tamanho do céu, tem plena certeza de que até as estrelas deixam de brilhar quando é hora do sol. Penumbra é dar voltas na mesma frase, sem palavras novas que remetam à falta de luz. E tem os atalhos, como aquele da cigarra. Ora, todo mundo sabe que quando ela canta, um dia quente amanhã virá. Nem é preciso bola de cristal.

Não dá para ser feliz sem ter alguém que nos cause soluços. Ela sabe disso. Sente a falta daquela queimação no peito e ansiedade na véspera de um encontro. Mas, há cautela. Não dá para ser frágil a vida toda. Ah, se ela soubesse o que os homens cochicham entre si… Todos bobos e safados. É da natureza, fazer o quê? Mas, quando eles amam de verdade, é tão discreto tal prato de canja quente em dia frio. Não espalham e não sussurram se está bom ou falta sal. Nem deixam derramar uma gota!

Mas há um problema: ela não gosta de letra ilegível. Mesmo que haja coragem e vontade, é preciso treinar os traços em caderno de caligrafia. Tudo bem que não é para ser tão exigente afinal, qualquer um faz poesia com as palavras erradas que se tornam certas para quem as lê. Imagina ser cega e não poder ler nas entrelinhas. Ela precisa ser menos exigente e entender que a solidão é uma saudade com endereço escrito à mão em um envelope sem destinatário.

Entry filed under: Ácidos.

Relaxa, Querido (reloaded) Conjugar o Viver

3 Comentários Add your own

  • 1. Guarana  |  agosto 21, 2009 às 4:32 pm

    Quer saber? esse é o melhor…
    Ela sabe…ela tem a esperança de q o tempero esteja sempre no ponto…
    BJs
    Parabéns

    Responder
  • 2. lua  |  agosto 23, 2009 às 9:55 pm

    Nossa, esse texto é diferente dos outros..
    muito bom!
    “ela precisa ser menos exigente”, precisamos todos..
    tá lindo e um final super poético! adorei..
    namastê, Bruno!

    Responder
  • 3. Alê Quites  |  setembro 3, 2009 às 8:20 pm

    até colei no meu blog…

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: