Minhas Mulheres

março 7, 2008 at 2:03 pm 15 comentários

Mulher

Fortes, ou sensíveis. Não importa. Desde as vaidosas, charmosas e turbulentas, às fortes, lutadoras e conquistadoras. Mulheres de todas as raças, ou crenças. Com batom, ou debaixo de um edredom. Do sexo rápido ao amor prolongado. Amamentando os nossos frutos, alimentando os nossos sussurros. No ápice, no vértice. Aconchegado em seus ombros, ou enfeitiçado pelo seu ventre. Rendo-me.

Oito de março de todos os anos. Não é apenas uma data qualquer, apenas para se comemorar a conquista de direitos, ou liberdade. De brindar à coragem, ou celebrar dignidade. Não! Porque os tolos que não sabem desvendar seus mistérios, respeitar suas manias e trejeitos, não podem ocupar o lugar no seu leito. Sem Amélias, Ritas ou ritos repletos de mitos. Simplesmente, mulheres.

Frágeis somos nós, homens. Pois são das mulheres, todos os dias. Sou delas, assim como todas são minhas. As que sentem o orgulho de ser delicada como uma flor, as com força por ser mãe. Aquelas que têm o carinho de ser esposa, as que possuem a reciprocidade de uma amiga. Todas com paixão por ser companheira, ou tesão em ser amante por uma noite inteira. Mas, principalmente, as que têm alegria por ser mulher.

Damas com liberdade e sua própria identidade. Donas que me prendem pelo pensamento, entre as pernas, ou num beijo suave. Cara- Metade, de corpo inteiro. Senhoras – moças, meninas selvagens. Mães, irmãs, filhas e concubinas. Dos amores fartos à força na dor do parto. Paixões inflamadas pelo poder em seu Delta de Vênus. Sentimentos eternos, ou fraternos. Reinando em meu coração ou no salão, entre sessões de pinturas das unhas dos pés e das mãos. Amo todas que têm independência, pois me fazem, sempre, dependente de suas sentenças.

Entry filed under: Ácidos.

Para Toda a Eternidade dos Últimos Minutos A Carta

15 Comentários Add your own

  • 1. Gabi Vieira  |  março 7, 2008 às 2:31 pm

    Muito tempo que nao passo por aqui…..
    Bruno, Mto bom!
    Parabéns! E parabéns a nós mulheres tbm!!! rs
    Beijo

    Responder
  • 2. Nathalia  |  março 7, 2008 às 10:21 pm

    Nossa, muito bonito seu texto.
    Belas palavras.
    obrigada! e parabéns às mulheres!

    Responder
  • 3. Carolina  |  março 8, 2008 às 8:19 pm

    Lindo texto como sempre!

    Parabéns a nós mulheres!!

    beijoo

    Responder
  • 4. Ane*  |  março 9, 2008 às 12:33 pm

    Ahhhh…como é bom ser MULHER…de todas as formas, cada uma com sua particularidade…
    Lindoooo texto….Como sempre….=)

    beijo, beijo!

    Responder
  • 5. Ana Carolina Freitas  |  março 10, 2008 às 11:25 am

    Depois de algumas visitas diárias para conferir se brotara um novo texto, fiquei muito mais do que satisfeita ao ler o que postou. Gostei da atmosfera lírica, mesmo adorando a bohemia costumeira.
    Excelente a parte “frágeis somos nós” rsrs. As vezes concluo que alguns homens se deparam com certas esfinges: “Decifra-me ou devoro-te” ;.)
    .
    Beijos e uma ótima semana pra ti.

    Responder
  • 6. babisoler  |  março 10, 2008 às 4:43 pm

    Tudo lindo, mas o desfecho imbativel.
    Um beijo

    Responder
  • 7. João Paulo  |  março 11, 2008 às 1:13 am

    As atividades remotas e novas me tiraram tempo o bastante para abandoná-lo por uns dias. Havia esquecido como é legal ler textos significantes que, nos fazem pensar.

    Estou de volta e, pretendo estar presente.

    Valeu, Bruno!

    Belo texto.

    Abraços,

    Responder
  • 8. elisabetecunha  |  março 11, 2008 às 1:30 pm

    Bruno

    que lindooooooooooooooooooooooo!!!!!
    so vc mesmo!!!!!
    obrigada!!

    estou escrevendo tambem no
    http://republicapopulardacultura.wordpress.com/
    aparece

    Responder
  • 9. Menina da Imprensa  |  março 11, 2008 às 4:42 pm

    Cafona ou não, eu gosto! O que mais me admira num homem, é sua capacidade de revenrenciar o cromossomo perfeito, já que são todos cromossomos defeituosos rsrsr
    Adoro isso: ” mulher, mulher, do barro em que você foi gerada, me deu inspiração, pra eu cantar você nessa canção. Mulher, mulher, na escola em que você foi ensinada, jamais tirei um dez, sou forte, mas não chego aos seus pés” (Roberto e Erasmo)

    Responder
  • 10. Sônia  |  março 11, 2008 às 6:23 pm

    Paixões inflamadas pelo poder em seu Delta de Vênus. Uau!!!!rs…
    Nós merecemos! rs
    Você é demais!

    Abraço Bruno!

    Responder
  • 11. Julio Lagedo  |  março 15, 2008 às 1:04 pm

    Bom meu amado amigo, sempre lindos seus escritos cheios de poesia, mulheres e amores……quem sabe eu não venha mais tarde escrever algo sobre essas mulheres? Não sei.

    Beijo

    Responder
  • 12. Julio Lagedo  |  março 15, 2008 às 1:04 pm

    Também dependo de suas sentenças….

    Responder
  • 13. Christiani Rodrigues  |  março 15, 2008 às 9:51 pm

    Como mulher, vejo que as mulheres são isso tudo que vc disse, só que têm horas, elas falam demais…rs…

    Responder
  • 14. Tânia  |  março 16, 2008 às 4:08 am

    Mesmo chegando tarde agradeço a querida homenagem…Somos complicadas, temos tpm, enxergamos muito além do plano real…Mas somos nós, somos mulheres.

    beijo bruno

    Responder
  • 15. Menina da Imprensa  |  março 18, 2008 às 9:02 pm

    Passando pra ver as novidades e avisar que de vez em quando tem news no publicando…
    Kisses

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: