Pra sair Exausto e muitas vezes Pisado.

abril 13, 2007 at 3:02 pm 28 comentários

Paixão Desconfio das pessoas que afirmam que nunca sofreriam por uma paixão. Tudo bem que Romeu e Julieta são mitos no tema amor, porém, quem nunca ficou louco de paixão e sentiu aquela sensação doida que sobe pelas veias e parece espetar o coração? Talvez morrer seja forte demais, concordo. Mas, lembro-me da época em que realmente sentia esse ardor, essa idolatria por alguma mulher. E ficava horas me arrumando, perfumando, esperando… Encarava chuva, trânsito e dilacerava as unhas esperando o celular tocar. E a paixão fez com que eu vivesse de forma mais intensa, faça loucuras e me sinta realmente vivo. Ego, tudo é questão de saber que você é capaz de sentir-se um super-herói. Mas, a paixão acaba. Sim, acaba mesmo. Mesmo que não venha com prazo validade estampado na cara das pessoas. Muitas vezes a gente fica com marcas de paixão, mas ela se esgota. Pode virar amor, amizade e carinho. Até mesmo um aprendizado. Paixão sim, pra nos fazer sentir a vida queimar dentro do peito, naquela sensação deliciosa de espera, angústia, saudade e dor. Porque o amor é muito além da paixão, uma cumplicidade. Paixão, não! É tesão, vontade intensa, loucura. Sexo por prazer, não complemento ou obrigação. Não é virar pro lado e dormir, não é dor de cabeça nem cansaço. É pra sair exausto, amassado, mordido, rasgado e muitas vezes pisado. Desconfio das pessoas que afirmam que nunca sofreriam por uma paixão.

Entry filed under: Ácidos.

Acordar para Adormecer Mais Um Dia às Claras Shrek Pós-Moderno

28 Comentários Add your own

  • 1. B.  |  abril 13, 2007 às 4:53 pm

    Também desconfio, até por que fui uma delas e hoje, nesse exato momento, pago por todas as palavras que falei. Adorei o texto.

    Aliás, vou te linkar. Tudo bem?

    Bisous.

    Responder
  • 2. aguas da vida  |  abril 13, 2007 às 5:25 pm

    Obrigada pela sua visita.
    Uma excelente sexta-feira para ti.
    Big Kiss

    Responder
  • 3. Luz  |  abril 13, 2007 às 5:41 pm

    Desculpe-me pela ausência mas estou numa fase turbulenta e não quero me deixar influenciar.
    Prometo que assim que possível leio TUDINHO e comento.
    Por enquanto deixo só um beijinho e agradecimentos por não desistir do meu cantinho tão bagunçado.
    Bjo Bjo

    Responder
  • 4. Leandro Jardim  |  abril 13, 2007 às 5:55 pm

    hehe, legal! também desconfio!
    uma vez escrevi:
    “só a paixão existe
    na rua
    amor é coisa de família
    e lua”

    obs: acidez lá em casa? talvez… mas não sem algum humor, também!

    abraço
    Jardineiro

    Responder
  • 5. Marcelo  |  abril 13, 2007 às 6:38 pm

    Seria uma honra escrever contigo também.
    Eu peço para que me enviem um pequeno texto ( de 10 linhas, mais ou menos ) e eu continuo.
    E alguns dados seus para que eu faça um pequena resenha de meu parceiro.
    Coisas como idade, onde mora, no que trabalha, essas coisas…
    Meu e-mail é marcmart7@hotmail.com
    Caso queira, é bem vindo à nossa brincadeira =)

    Responder
  • 6. eu, eu mesma, Rê  |  abril 13, 2007 às 6:50 pm

    “Paixão sim, pra nos fazer sentir a vida queimar dentro do peito”

    eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!
    sou totalmente a favor.

    Responder
  • 7. Alexandre Costa  |  abril 13, 2007 às 7:10 pm

    Cara, é isso aí…que atire a primeira pedra quem nunca sofreu por amor!!!!
    Abraços.

    Responder
  • 8. Luis Augusto  |  abril 13, 2007 às 7:29 pm

    O que seria da vida se não fosse uma paixão que machucasse?? Melhor estar apaixonado e não ser correspondido do que nunca ter sentido nada por ninguém. Nem por si mesmo.
    Fora que existem vários níveis de paixão, mas a que causa loucura é a melhor, porque só ai estaremos sendo nós mesmos.

    Responder
  • 9. Lubi  |  abril 13, 2007 às 8:43 pm

    (Lubi pensando)
    Gosto da paixão, da motivação que ela provoca tanto quanto do amor que nos faz sonhar. Um sentimento complementa o outro.

    Beijo.
    Bom final de semana.

    Responder
  • 10. Coluniandos  |  abril 13, 2007 às 8:58 pm

    Tenho paixão por mulatas, loiras, ruivas…

    Responder
  • 11. elisabetecunha  |  abril 13, 2007 às 9:11 pm

    UAU, muito bom seu texto!!
    Agradeço pela visita no meu blog!
    Apareça sempre!

    Responder
  • 12. Girassol  |  abril 13, 2007 às 10:10 pm

    Eu desconfio de todas as pessoas que passam pela vida e continuam com o coração sem nenhum arranhão ou cicatriz, porque é um sinal evidente de que não se deram e não sentiram.
    Paixão significa obrigatoriamente entrega, e sim, pode causar dores variadas, mas também nos brinda com momentos de êxtase inesquecíveis.

    P.S. Penso que o Marcelo já explicou direitinho como entrar na brincadeira a “4 Mãos”, é só participar. =)

    Beijos.

    Responder
  • 13. Rosangela  |  abril 13, 2007 às 11:19 pm

    Nossa, adorei seu texto! Parabéns! Vou ficar fã do seu blog, viu? Concordo plenamente com você que todos sofrem por uma paixão, e depois esse sofrimento é até bom de ser lembrado. Faz-nos ver que estamos vivos e capazes de sentir, sempre.

    Abraços!

    Responder
  • 14. Márcia(clarinha)  |  abril 13, 2007 às 11:24 pm

    Eu também desconfio, ôô se desconfio, quero arder me fazendo de louca quero espumar de tesão quero a vida toda viva quero morrer de paixão!
    beijossssssssssssss

    Responder
  • 15. Patrícia  |  abril 14, 2007 às 12:14 am

    Nunca sofrer por uma paixão é como passar a vida em brancas nuves, papel em branco, páginas não-escritas. Desconfio mesmo se tais pessoas que afirmam passar incólumes à paixão saibam o que vem a ser uma vida realmente vivida, com todos os seus altos e baixo.

    Muito bom o seu blog, moço.

    Responder
  • 16. Isabela  |  abril 14, 2007 às 10:09 am

    Ai, eu sou dessas pessoas que digo/dizia que nunca sofreria por uma paixão.
    Do tipo, 1o lugar:eu; 2o lugar:eu;(…) 428o lugar:eu de novo. Sabe?

    Mas já queimei a língua tantas vezes… Aiaiaiai.

    Beijos, moço.

    Responder
  • 17. luana  |  abril 14, 2007 às 2:08 pm

    eu tbm desconfio dessas pessoas..Oo

    🙂
    eu meio que senti uma confusão no desenrolar do texto..como se vc nao se permitisse sentir isso, mas por outro lado, um desejo muito grande sentir..eu devo ter viajado pra variar..mas..eh isso..

    se permitir mais..as vezes eh dificil..x*

    Responder
  • 18. Paulo Fernando  |  abril 14, 2007 às 6:28 pm

    É cruel demais não deixar que o amor tome o seu rumo. Muitos confundem paixão e amor, outros preferem mantê-los longe, muito longe. Há quem diga que o amor é antiquado, uma coisa que só aparece com o tempo. Já a paixão, essa é atemporal, vc pode se apaixonar por alguém ao mesmo instante que ama outra pessoa.
    O amor é mais seleto, mais egoísta: dificilmente um coração é dividido, verdadeiramente, por dois amores. E, todos aqueles que dizem não ter amado ou se apaixonado, sofrem demais ou já desistiram de viver.

    Abraços!

    Responder
  • 19. Keila, a Loba  |  abril 15, 2007 às 1:10 am

    E creio que tem razão ao ficar “cabreiro” com quem tem medo de amar, pois bem já dizia Vinícius, “Quem já passou por essa vida e não viveu, pode ser mais, mas sabe menos do que eu, porque a vida só se dá pra quem se deu, pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu. Quem nunca sentiu uma paixão nunca vai ter nada não!”.

    Andei sumida, é bem verdadde, mas jamais deixaria de me esbanjar nesse ácido pra lá de poético, romântico e muito bacana de se ver e ler.

    BeijUivooooooooooooooooooosssssssssssssss

    Responder
  • 20. Elza  |  abril 15, 2007 às 3:08 pm

    a paixão é algo divino, divino no sentido de sai do humano, so rela, do mágio, é tudo junto, é uma confusão gostosa de sentimentos maravilhos.
    =]

    Responder
  • 21. Elaine Lemos  |  abril 15, 2007 às 10:21 pm

    Dói muito! Mas quem não quer sofrer assim…?

    Sim, se aconchegue! Quanto mais gente, mais quentinho.

    Beijos!

    Responder
  • 22. BinhoSampa  |  abril 16, 2007 às 12:09 am

    É muito bom viver uma paixão, mesmo que ela acabe, agora não é vivê-la deve ser muito triste.

    Abs e Inté.

    Responder
  • 23. João Paulo  |  abril 16, 2007 às 1:34 am

    Caramba! Esse texto é pura realidade, mas sabemos que é impossível passar por essa vida sem deixar ou sentir marcas desse tipo.

    Ah, obrigado pela visita e pelo comentário!

    Abraços!!!

    Responder
  • 24. B.  |  abril 16, 2007 às 5:15 pm

    B. de Bárbara, o meu.

    Responder
  • 25. Aline  |  abril 17, 2007 às 3:54 pm

    Paixão!

    É como se ela estivesse sempre na moita, esperando a gente ficar desapercebido…
    E faz estragos… belos e inesquecíveis.
    Impossível dizer não.
    Impossível!

    Beijos.

    Responder
  • 26. Carol Marossi  |  abril 18, 2007 às 4:47 pm

    Bruno, disse tudo: “me sinta realmente vivo”. A chave é essa. As pessoas hoje em dia, ou se abstêm de coisas que as façam perder o suposto controle que pensam ter sobre as próprias vidas ou o oposto: utilizam essas coisas, como a paixão, o sexo, as drogas, as cirurgias plásticas, etc. e tal pra se sentirem vivas.
    Por isso que detesto essa pós-modernidade em que vivemos! São tempos de anestesia e desencontros…

    Beijos!

    Responder
  • 27. Fuini  |  abril 25, 2007 às 2:44 am

    “são demais os perigos desta vida pra quem tem paixão”…Vinicius…

    Mas, como poeta das paixões arrebatadoras e dos grandes amores, disse também…

    “Sei lá, sei lá
    Só sei que é preciso paixão
    Sei lá, sei lá
    A vida tem sempre razão”

    Responder
  • 28. Oscar  |  março 5, 2009 às 10:45 pm

    A paixão é boa, mas tal como o amor, quando é correspondida. De nada adianta gostar, idealizar, sentir, querer, se não se tem. Agora, quando é correspondia de verdade é muito quente sim…

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: