Segredos Sem Amor

fevereiro 26, 2007 at 8:04 pm 3 comentários

De uma nota só. É o palpitar do meu coração no peito. Ligeiro devaneio aquece a alma, me dá vontade de arriscar. E eu te devoro em fagulhas, lançadas pelos meus olhos sem ternura. Apenas vontade e tesão. Ebulição da alma, quentura de excitação. Num beijo te fito a vontade da entrega. Sexo, gozo e sorriso sem mazelas. Geme, dança e treme. Nosso segredo é nosso, só da gente. Vem me abraça e sente o calor. Não é amor, é apenas vontade de ser esplendor. De uma nota só, sem repertório. Ritmo nosso, prazer ardente, instantâneo ilusório. Salivas, suores e delícias. De cima pra baixo e de baixo pra todos os poros que saciam as nossas sensações . Sem rumos ou regras, sem preconceitos nesse nosso segredo. Beijos, muito beijo e línguas ligeiras. Lentas, rápidas, calmas e certeiras. Feroz. Te levo nua rumo à lua. E de mim faz um escravo servo, aproveite todo nosso silêncio esférico, de prazer, sem pudor. Sem amor. Só volúpia e desejo ardente. De uma nota só. Retrógrados voltamos ao nosso mundinho, com medo, receio de burburinhos. Ligeiro devaneio aquece a alma, me dá vontade de arriscar.

Entry filed under: Ácidos.

Almas Consolidadas O Sorriso Não Tarda Para quem Tropeça no Próprio Cadarço

3 Comentários Add your own

  • 1. Melissa  |  fevereiro 27, 2007 às 6:50 pm

    Picante isso, não?
    Beijinhos

    Responder
  • 2. Juliana  |  fevereiro 27, 2007 às 7:36 pm

    Adorei.
    E sexo e amor são realmente coisas diferentes. E ótimas, ainda mais qdo juntas…

    beijo

    Responder
  • 3. Amorim  |  março 8, 2007 às 12:42 pm

    gostei da sua poesia erotica me vez lembrar o grande literario Jorge Amado.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: