Almas Consolidadas

fevereiro 23, 2007 at 1:23 pm 8 comentários

Não adianta ficar procurando os motivos. Nem esperar que as horas passem e o tempo explique. Sem quês nem porquês. Não aguarde explicações minhas, eu não sei. Mas, olhar dentro dos seus olhos foi como olhar estrelas. Perder-me nas suas constelações é vício, desde a primeira viagem. E essa sensação ainda é assim. Pareço poder abraçar as galáxias e me perder no seu infinito. Pois, quando você segura minha mão, eu tenho todas as respostas e certezas. Sinto que não estamos separados ou perdidos. Nesta vida, mesmo longe, somos dois. E pra sempre seremos um.

Entry filed under: Ácidos.

Diário de Bordo Segredos Sem Amor

8 Comentários Add your own

  • 1. Claudia  |  fevereiro 23, 2007 às 1:54 pm

    Um é bom, especialmente quando é fruto de dois.
    beijo, Bruno

    Responder
  • 2. czarina  |  fevereiro 23, 2007 às 5:16 pm

    estranho. gostei.

    Responder
  • 3. Bruno Cazonatti  |  fevereiro 23, 2007 às 7:37 pm

    A casa é de vocÊs, fiquem a vontade

    Responder
  • 4. Isabela  |  fevereiro 23, 2007 às 9:29 pm

    Que lindo… Tão… Tão… Não sei.
    Sincero, puro.

    Me lembrou até dum antigo namoro. Duma antiga constelação. Dum amor. Puro.

    Beijos!

    Responder
  • 5. ELIANA.  |  fevereiro 26, 2007 às 1:03 am

    Oi Bruno, de fato não adianta ficarmos procurando motivos mesmo…amamos e pronto!!…Mas o que significa Amar?!
    Será aquela vontade de querer estar perto de quem se gosta sempre?!
    Ou será aquele sentimento de Saudades que nos invade?!
    Por vezes pode ser um ‘Estado de Espírito’ que faz com que vejamos
    as coisas de um jeito melhor!
    Enfim….
    Se Você tem uma explicação para o Amor, tu não amas, pois o Amor não se explica apenas se Vive!!!
    (Zaque Júnior)
    Bruno, desejo uma ótima semana a você!!Beijos!!

    Responder
  • 6. Juliana  |  fevereiro 26, 2007 às 2:53 pm

    “a nossa liberdade é o que nos prende”… sabe como??

    beijo

    Responder
  • 7. Julie  |  fevereiro 26, 2007 às 5:03 pm

    Doeu um pouco. Sei lá, vai ver é o momento. Eu querendo tantas explicações e ele dando tão poucas. Volto aqui com mais humor.

    Responder
  • 8. Luz  |  março 1, 2007 às 3:00 pm

    Ah, o amor!
    Lindo texto.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: