Sem Você Não Existe Hoje

fevereiro 12, 2007 at 12:18 pm 5 comentários

Cinza. O sol se escondeu e trouxe as gotas da chuva de tristeza em forma de lágrimas. Escorrendo pelo meu rosto. Culpa sua. Quem mandou você ir embora? E eu fico aqui, no canto da sala, descalço no chão frio no meio do vazio. Sua foto no porta-retratos e só. Hoje não tenho você aqui ao meu lado. Só o seu perfume que impregnou o ar. Minha culpa. E, se você não está por perto, tudo fica bagunçado. Papéis, roupas e talheres. Vida. O silêncio da casa se mistura aos ecos do meu coração batendo por você. Sem a sua presença, a alma sente falta de calor do sol. Fecho os meus olhos para lhe imaginar. As taças de vinho continuam vazias, esperando por nós. Quero esquecer que sem você não existe hoje. Esquecer que hoje não tenho mais você. Desejando que o hoje acabe logo e que amanhã você volte pra mim.

Entry filed under: Ácidos.

Reconstruindo a Biografia Diário de Bordo

5 Comentários Add your own

  • 1. Juliana  |  fevereiro 12, 2007 às 2:56 pm

    ai, essa sensação é terrível!!!

    beijo

    Responder
  • 2. ELIANA.  |  fevereiro 12, 2007 às 11:13 pm

    Oi Bruno, mas olha só!!Que lindo isso!!Sem você não existo hoje… e acho que nem nunca!!Uauuuu!!Adorei!!…Assim como o oceano
    Só é belo com luar…
    Assim como a canção,
    Só tem razão se se cantar,
    Assim como uma nuvem…
    Só acontece se chover,
    Assim como o poeta…
    Só é grande se sofrer,
    Assim como viver…
    Sem ter amor não é viver,
    Não há você sem mim…
    Eu não existo sem você!!(Tom Jobim e Vinícius de Moraes)Bruno, tenha uma ótima noite!!Um abração!!

    Responder
  • 3. Aline  |  fevereiro 13, 2007 às 12:58 am

    Chegou a doer meu coração…

    :*

    Responder
  • 4. Luz  |  fevereiro 15, 2007 às 12:37 pm

    Eu ia comentar algo diferente do que está aí em cima, mas quando li o comentário da ELIANA logo me veio outra música do Vinícius…

    “Eu sem você não tenho porque, porque sem você não sei nem chorar
    Sou chama sem luz jardim sem luar, luar sem amor, amor sem se dar
    E eu sem você sou só desamor um barco sem mar um campo sem flor
    Tristeza que vai tristeza que vem
    Sem você meu amor eu não sou ninguém”

    No entanto, não concordo com nada disso, acho que as pessoas fazem falta sim e acho que é muito importante “sofrer essa falta” (sabe? curtir fossa!). Mas devemos sempre lembrar que nosso amor e equilíbrio está dentro de nós e só assim podemos dividir algo de bom. Portanto, curta a fossa, mas logo depois, levanta, sacode a poeira e dê a volta por cima.

    Força!

    Responder
  • 5. cris  |  fevereiro 16, 2007 às 9:30 pm

    Depois dessa se ela não voltar…
    Meu Deus que poema lindo!!!! Suas palavras desenham meus pensamentos…tudo a flor da pele.
    Pintou “novas” no blog, apareça.
    beijos beijos e beijos, Cris

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: