Pintou 2007

janeiro 3, 2007 at 10:58 am 5 comentários

Os fogos invadem o céu colocando cores no painel preto divino. Explosões de luzes e perspectivas dentro do peito. Abraços, vinho tinto, champagne e sorrisos. Mais um ano termina, novo ano que chega. Belisco algo na ceia e reflito sobre mudanças, planos, conexões e ventos que sopram as velas do meu barco na direção da felicidade. Hora de pensar na existência. E existir é viver. E a vida é como uma tela branca, esperando pelas nossas pinceladas. A gente coloca as cores de esperança e os borrões pela vontade de arriscar, tentar. E também traçamos os contornos, preenchemos espaços e vamos despindo a tela lentamente, invadindo cada pedaço com as nossas inspirações e aspirações. Quando menos esperamos, a obra vai se tornando prima. É a vida exalando o cheiro fresco de nossas tintas. Então, vamos colorir esse ano novo com as cores da nossa felicidade. Tin tin!

Entry filed under: Ácidos.

Esperança Sagrada Equívoco Covarde

5 Comentários Add your own

  • 1. nokia7710  |  janeiro 3, 2007 às 12:16 pm

    Bem vindo a 2007. Ótima reflexão…

    Responder
  • 2. Maísa *Pupila  |  janeiro 4, 2007 às 12:46 am

    Que bela tela pintou teus dedos em cores de esperança e de nossa própria responsabilidade em sermos felizes.
    FELIZ 2007!
    beijos poéticos renovados

    Responder
  • 3. Julio Lagedo  |  janeiro 4, 2007 às 12:58 am

    Tin Tin, à nossa!

    Responder
  • 4. Patti Maiô  |  janeiro 4, 2007 às 3:52 am

    Madureira, mais uma dose!

    Responder
  • 5. Nanna  |  janeiro 8, 2007 às 12:30 am

    Um ano cheio de muita cor e muito amor pra vc!!

    Um beijo.
    🙂

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


O Poeta Corrosivo:

Bruno Cazonatti - Carioca, balzaquiano. Um redator feito de resto das estrelas, que insere neste espaço os seus textos e segredos de muitas lembranças caladas, rascunhos amassados e a poeira dos pés da sua curta estrada.
Faz poesia barata com seus segredos revelados em textos compostos de desejos implícitos, e apimenta suas letras mudas, com contos imaginários, salpicados da acidez que aparece entre raios de sol e a tempestade de palavras com aroma de chuva.
Tudo isso, bem misturado às mensagens rabiscadas na essência da sua vida.
----------------------------

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº. 9.610 de 19-02-1998.
Não copie sem permissão.
[Ácido Poético® - Todos os direitos reservados]

http://www.twitter.com/cazonatti

ø Textos Protegidos por Direito Autoral ø

Creative Commons License
Ácido Poético by Bruno Cazonatti is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at Ácido Poético ®.
Permissions beyond the scope of this license may be available by: cazonatti@gmail.com

Às vezes balbucio algo no Twitter:


%d blogueiros gostam disto: